Lombrigueira ou Gameleira



Lombrigueira ou Gameleira


Características Morfológicas: Altura de 9-22 m, lactescente, dotada de copa frondosa de ate 30 m de diâmetro, revestido por casca áspera, de cor par, de cor pardacenta. Folhas alternas espiraladas, com pecíolo de 1,0-4,2 cm e estípulas glabras e caducas ( são plantas que tem as folhas que caem) de 2,5-3,5 cm de comprimento; lâmina elíptica ou oblonga, de ápice agudo e acuminado e base aguda, coriácea , glabra ambas as faces, com a face inferior de cor verde-amarelado bem mais clara que a superior, com três pares de nervuras basais ( relativo a base) mais 12-19 pares laterais, de 4-18 cm de comprimento por 1,7 cm de largura. Inflorescências axilares do tipo sicônio ( É a designação dada aos pseudofrutos constituídos por uma inflorescência ou uma infrutescências composta de receptáculo carnudo e flores ou frutos inclusos), solitárias, com pedúnculo de 2-3 mm. Figo subgloboso, glabro ou pubescente, ostíolo ( abertura apical) levemente proeminente.




Ocorrência: Em todo o país, exceto no Nordeste e em Santa Catarina e Rio Grande do Sul, nas matas pluviais e de galeria.

Madeira: Leve( densidade 0,59g/cm3), macia ao corte, textura grossa, muito suscetível ao ataque de cupins e ao apodrecimento.

Utilidades: A madeira é indicada para a confecção de gamelas, brinquedos, miolo de portas e painéis. Seus frutos( figos) são muitos consumidos por várias espécies de aves. A árvore, de rápido crescimento e fornecedora de boa sombra, é indicada para reflorestamento e paisagismo rural.




Informações Ecológicas: Planta pioneira, semidecídua( são plantas que perdem suas folhas numa determinada época do ano), é heliófita ( planta que precisa de luz do sol) e seletiva higrófita (gosta de umidade), características e preferencial das matas pluviais e de galeria do interior do país; apresenta ampla dispersão, não obstante de frequência descontínua e irregular, ocorrendo preferencialmente ao longo de cursos d`água e em várzeas bem suprida de água.

 Floresce em dezembro-janeiro. Os frutos amadurecem predominantemente em março-abril.

Obtenção de Sementes: Os frutos deverão ser colhidos diretamente da árvore quando iniciarem a queda espontânea deixando-os amontoados em sacos plásticos até sua decomposição parcial para facilitar sua maceração em água e preparo de uma suspensão de sementes e polpa para semeadura. Um kg de sementes limpas e secas contém cerca de 3,5 milhões de unidades.





Produção de Mudas: A suspensão aquosa de sementes e polpa deve ser regada sobre canteiro semissombreado  e preparado com substrato organo-arenoso bem fino e uniforme, deixando-a sem cobrir e irrigando-se duas vezes ao dia. A emergência de demora de 30-40 dias, com taxa de germinação baixa. O desenvolvimento das plantas no campo é rápido, atingindo mais de 2 m de altura aos 2 anos de idade.


Árvores Brasileiras Manual de Identificação e Cultivo de Plantas Arbóreas Nativas do Brasil.

Autor:  Harri Lorenzi   Volume  03    Primeira  Edição



















Nenhum comentário:

Postar um comentário