Cega-Machado Nó-de-porco ou pau-de-rosas



Cega-Machado  Nó-de-porco  ou  Pau-de-Rosas


Características Morfológicas: Altura de 5-10 m, dotada de copa alongada ou piramidal. Em terrenos pedregosos e pobre seu porte é arbustivo. Tronco mais ou menos ereto e cilíndrico, com casca rimosa e aspérrima, de 20-35 cm de diâmetro. Folhas simples, opostas cruzadas( raramente alternadas), rígido coriáceas, um pouco discolores, aspérrimas(  muito áspero) em ambas as faces e pubérulas( cuja cobertura é invisíveis aos olhos) sobre as nervuras na face inferior de 5-11 cm de comprimento por 2,5-6,5 cm de largura, sobre pecíolo de 2,9 mm de comprimento. Inflorescências em panículas terminais de 10-18 cm de comprimento, com flores muito vistosas de cor lilás. Fruto do tipo cápsula, com muitas sementes aladas pequenas.




Ocorrência: Nordeste brasileiro e estados de Goiás e Mato Grosso, na mata semidecídua e em cerradões. É muito frequente no centro de Goiás.

Madeira: Pesada( densidade de 0,85 g/cm3), muito dura ao corte, textura grossa, resistente e moderadamente durável.


Utilidade: A madeira é empregada para marcenaria de luxo, serviços de torno, construção civil e para obras externas, como postes, mourões, dormentes, estacas, carrocerias. A árvore é extremamente ornamental quando em flor, igualando ou superando a beleza dos ipês, características esta que a recomenda para uso paisagístico, principalmente para urbanização urbana. lamentavelmente tem sido pouco utilizada até o momento para este fim. Também é recomendada para reflorestamento.




Informações Ecológicas: É uma planta decídua( são plantas que perdem suas folhas numa determinada época do ano) é heliófita( precisa da luz do sol) é seletiva xerófita( são plantas adaptadas a viver em climas semiáridos  e desérticos, características e exclusiva da mata semidecídua e de sua transição para o cerrado, onde apresenta frequência elevada, não obstante muito descontínua e irregular na sua dispersão. Ocorre predominantemente em capoeiras na parte mais elevada do relevo, em solos argilosos de média fertilidade e bem drenados. Também muito frequente como planta isolada em áreas de pastagens. Produz abundantes quantidades de sementes disseminadas pelo vento.


Floresce de maneira exuberante durante os meses de agosto-setembro. Os frutos amadurecem logo em seguida em setembro-outubro.




Obtenção de Sementes:  Colher as infrutescências diretamente da árvore logo após o secamento das flores quando algumas sementes já desprendem-se pela movimentação dos ramos. Como as sementes são intensamente predadas por insetos, é fundamental que sejam colhidas o mais cedo possível e sejam tratadas com inseticidas adequados. Um kg de sementes equivale aproximadamente  1 milhão de unidades.


Produção de Mudas: As sementes são colhidas para germinação em canteiros de semeadura com substrato arenoso. Em seguida cobri-las muito levemente com uma fina camada do substrato peneirado e irrigar duas vezes ao dia. A emergência ocorrerá de 3-5 semanas e a taxa de germinação é média. O desenvolvimento das plantas no campo é rápido.


Árvores Brasileiras Manual de Identificação e Cultivo de Plantas Arbóreas Nativas no Brasil.

Autor   Harri  Lorenzi        Volume  02    Quarta  Edição

Instituto  Plantarum de  Estudos  da  Flora  Ltda.






























Um comentário: