Uvarana ou Capim-de-anta



Uvarana ou Capim-de-Anta


Características Morfológicas: Altura de 3-7  m  dotada de uma copa dracenoide pouco ramificada, glabra e de tronco fusiforme( que é mais espesso ao centro e atenuando-se às extremidades) revestido por uma casca rugosa e irregularmente partida, de cor pardo acinzentada. Folhas concentrada no ápice dos ramos, simples, recurvadas, lineares a estreitos-lanceoladas, de ápice agudo a curto acuminado e base estreitada com amrgens levemente ondulada, de 50-64 cm de comprimento por 1,5-5,0 cm de largura. Inflorescência em panícula terminal solitária, ereta, de 0,7-1,0 m de comprimento, de bráctea lanceoladas de 1,0-2,5 cm, com flores andróginas arroxeadas( é mesmo que hermafrodita ou seja possui características simultâneas do sexo masculino e feminino). Frutos baga subglobosa, de polpa suculenta.




Ocorrência: Sul de Minas Gerais até o Rio Grande do Sul, em cerrado, mata ombrófila( que tem chuvas intensas e constantes) , mesófila( que requerem abundantes disponibilidades de águas no solo e atmosfera úmida.)  semidecídua( que perdem suas folhas em uma determinada época do ano) ciliar e de altitude. 

Madeira: Muito leve ( densidade de 0,27g/cm3) de textura muito grosseira, porosa, fibrosa, e de baixa resistência ao apodrecimento.

Utilidades: A madeira é de baixa qualidade mecânica e fácil apodrecimento, não tem uso conhecido. A árvore possui características ornamentais notáveis que torna-a interessante para uso paisagístico. Os frutos são bastante procurados pela avifauna, sendo a árvore indicada para cultivo em reflorestamento destinado à preservação.




Informações ecológicas: É planta pioneira, heliófita( precisa da luz do sol), e seletiva higrófita( precisa da umidade) características da mata de altitude, incluindo sub-bosques e de pinhais do sul e Sudeste do país, onde sua frequência chega a ser elevada em algumas regiões, com distribuição relativamente regular  nestas formações; sua ocorrência em formações é marginal e irregular.

Floresce de outubro a dezembro. Os frutos amadurecem predominantemente de fevereiro a abril.


Obtenção de Sementes; Os frutos são colhidos diretamente da árvore quando iniciarem aqueda espontânea, cortando-se toda a infrutescência e batendo-a sobre uma lona para derriçar os frutos: em seguida deixá-lo em sacos plásticos até iniciar o apodrecimento da polpa para facilitar a separação das sementes através de lavagem em água corrente dentro de uma peneira. Um kg contém cerca de 77.000 unidades.





Produção de Mudas: As sementes devem ser postas para germinação logo que são colhidas em canteiros a meia sombra preparados com substrato organo-arenoso, cobrindo-as com uma fina camada de substrato peneirado e irrigando-se uma vez ao dia. A emergência ocorrerá de 40-60 dias e a germinação é baixa. O crescimento das plantas no campo é baixo.


Árvores Brasileiras Manual de Identificação e Cultivo de Plantas Arbóreas Nativas do Brasil.

Autor;  Harri  Lorenzi        Volume 03   Primeira Edição































Nenhum comentário:

Postar um comentário