Farinha-seca Camisa-fina ou Angico-branco

Características Morfológicas:

Altura de 9,0 a 12 m tronco cilíndrico com cerca de 40 a 80 cm de diâmetro e
com fuste (haste) relativamente alto que alcança 12 m de altura. A casca é, pulverulenta e amarelada, o que é bastante característicos e provavelmente rendeu-lhes o curioso nome de farinha-seca. Suas folhas são bipinadas, alternas, com números de folíolos elípticos, brilhantes e de cor verde-escura. A copa é esparsa aplanada e tem o formato de V. O fruto que se segue é uma vagem achatada, deiscente (são frutos que abrem-se e libera suas sementes ainda na planta) ela contém sementes ovaladas, duras pequenas e castanhas.

Ocorrência:

América Central, América do Norte, América do Sul mas é nativa da América do Sul e também encontrada em diversos estados brasileiros, desde o Rio Grande Do Sul até o Pará com menor incidência no nordeste do país.



Madeira:

É macia, clara, e frágil.

Utilidade:

Pode ser utilizada em caixotaria, artesanato, e na confecção de objetos leves.

Informações ecológicas:

A Farinha-seca, Camisa-fina ou Angico-branco é uma árvore semidecídua (ou seja perde parte de suas folhagens em uma determinada época do ano) é monóica (são plantas que possuem órgãos sexuais masculinos e femininos coexistentes no mesmo indivíduos).
Apesar de suas qualidades ornamentais e ecológicas, ainda é pouco utilizada em projetos paisagísticos. Está ameaçada de extinção é considerada pioneira e de sucessão primária, sendo importante incluí-la em programas de reflorestamento e recuperação ambiental.

Floresce na primavera e verão, despontando-se inflorescência do tipo panícula terminal, e com inúmeros capítulos densamente recoberto por estames de cor branca (estames são folhas modificadas onde formam-se os gametas masculinos da flor).

Obtenção de Sementes:

Multiplica-se por sementes, que devem ser colhidas de frutos maduros e escarificadas em ácidos sulfúricos para a quebra da dormência.

Produção de Mudas:

Deve ser cultivada a pleno sol, em solo fértil, profundo enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente nos primeiros anos após o plantio. Depois de bem estabelecida é tolerante a curtos períodos de estiagem. Plantar imediatamente em substrato mantido  úmido.





Fonte de pesquisa: Manual de Identificação e cultivo de Plantas Arbóreas Nativas do Brasil / Autor Harri Lorenzi / Volume 02




















Nenhum comentário:

Postar um comentário