Pacotê

Características morfológicas:

Altura de 8-15 m, dotada de uma copa alongada e raízes tuberosas, e com folhagem decídua (perde suas folha em uma determinada época do ano) de ramos novos e com tronco de 30-50 cm de diâmetro, revestido por uma casca superficialmente fendida, de cor branca-acinzentada. Folhas simples longo-pedunculadas de  7 a 25 cm e lobadas (folhas serrilhadas que tem pequenos dentes inclinados com uma serra ou divididos em lobos ou lóbulosglabras ( desprovidas de pelos) ou pubescentes na face inferior de 6-23 cm de comprimento por 10-36 de largura. 

Flores de 8-12 cm de diâmetro, andrógenas ( são flores que possuem os dois sexos). São amarelas reunidas em inflorescências terminais. Frutos largamente ovalados, do tipo cápsula, geralmente um por ramificação, suberetos ou pendentes, aveludados ou glabrescentes, (perdem seus pelos espontaneamente), com inúmeras sementes reniformes envoltas (que tem a forma de um rim) por pelos brancos.

Ocorrência:

Região Norte e Nordeste, principalmente nas florestas decíduas (que perdem suas folhagens numa determinada época do ano) do nordeste caatinga e nas savanas do Amapá e Roraima.


Madeira:

Leve, macia ao corte, de textura grossa de baixa resistência ao ataque de xilófagos ( insetos que alimentam-se de madeiras)

Utilidades:

A madeira pode ser usada para caixotaria e polpa celulósica. A árvore é muito ornamental quando em flor, tendo potencial para cultivo no paisagismo em geral, sendo também indicada para reflorestamentos.

Informações ecológicas:

Muda de Pacotê
Planta pioneira, heliófita ( precisa da luz do sol) xerófita ( adapta em ambientes de clima semiáridos e desérticos) características exclusivas de florestas e savanas de clima sazonal (semiárido) como a caatinga do Nordeste e as savanas do Pará, Amapá e Roraima. Apresenta frequência baixa e distribuição  irregular sendo mais frequente em capoeiras e áreas de intensa ação trópica.


Floresce em setembro-outubro com a planta despida de suas folhagens. Os frutos amadurecem de 6-8 semanas após a polinização das flores com a árvore ainda em folhas.

Obtenção de Sementes:

Os frutos devem ser colhidos diretamente da árvore quando iniciarem a abertura ou recolhê-los no chão após a queda espontânea. Em seguida devem ser deixado  à sombra para secarem e completarem a abertura e liberação das sementes. Um kg equivale cerca de 28.200 unidades.

Produção de Sementes:

Multiplicam-se por sementes e por estacas que enraizam-se facilmente. No caso de sementes, estas deverão ser postas para germinação logo que colhidas em canteiros semi-sombreados de substrato areno-argiloso. A emergência demora de 30-40 dias e a germinação é baixa. O desenvolvimento das plantas no campo é considerado rápido.

Fonte de pesquisa: Manual de Identificação e cultivo de Plantas Arbóreas Nativas do Brasil / Autor Harri Lorenzi / Volume 01











Nenhum comentário:

Postar um comentário