Samambaia Gigante



Samambaia  Gigante


As samambaias são plantas do grupo das pteridófitas ou seja plantas vasculares sem sementes e compostas por raízes, caule e folhas. As samambaias gigantes  ou samambaiaçu são robustas, semi-lenhosa, de caule fibroso, curto, de 60-70 cm de comprimento, originária de matas úmidas do Japão,  Austrália, e Madagascar, folhas de até 5 m de comprimento, bipinadas, com folíolos linear alongado e finamente denteados.





O caule das atuais pteridófitas é subterrâneo e com desenvolvimento horizontal, mas em algumas pteridófitas, com os xaxins, o caule é aéreo. E geral cada folha dessas plantas dividem-se em muitas partes menores chamada folíolos.

A maiorias das pteridófitas é terrestre e, como as briófitas, vivem  preferencialmente em locais úmidos e sombreados.






Pode ser cultivada como planta isolada ou formando grupos, à meia-sombra, em terra rica em máteria orgânica, mantida permanentemente encharcada. Também pode ser cultivada em vaso embutido em recipiente com água.


Reprodução das Pteridófitas


Reproduzem-se num ciclo que apresenta uma fase sexuada e outra assexuada.
A samambaia é uma planta assexuada produtora de esporos. Por isso, ela apresenta a fase camada esporófito.
E certas épocas, na superfície inferior das folhas das samambaias formam-se pontinhos escuros chamados de soros. O surgimento dos soros indica que as samambaias estão em época de reprodução.
Em cada soro são produzidos inúmeros esporos.


Esporos de Samambaias





Quando os esporos amadurecem, os soros abrem-se e os esporos caem no solo úmido, cada esporo pode germinar e originar um protalo, que é uma planta sexuada produtora de gametas.



Soros



Fonte de pesquisa: Amabis e Martho  Biologia dos Organismos, Classificação, Estrutura e Função nos Seres Vivos, Plantas Ornamentais no Brasil  Arbustivas, Herbáceas e Trepadeiras.

Autor:  Harri  Lorenzi  Hermes Moreira de Souza   Terceira Edição.































Nenhum comentário:

Postar um comentário